Ceratocone


O que é Ceratocone?

O olho humano possui duas lentes naturais que tem por função projetar uma imagem nítida na retina, que é a tela onde as imagens são captadas e transmitidas ao cérebro. A lente mais externa é a córnea.

Qualquer distorção ou irregularidade da córnea induz uma diminuição da qualidade da imagem que chega a retina, provocando baixa qualidade visual.

O ceratocone é uma doença não inflamatória da córnea em que há uma desestruturação do colágeno corneano. Isso resulta em um afinamento progressivo da córnea com conseqüente protrusão e deformação de sua estrutura. A córnea tornando-se progressivamente mais fina e irregular perde sua capacidade de projetar imagens nítidas na retina.

   

O ceratocone ocorre na população numa freqüência média de um caso para cada 2000 habitantes. Na maioria dos casos, sua apresentação é bilateral e afeta igualmente homens e mulheres, com uma discreta preferência pelo sexo masculino. Apesar de sua apresentação esporádica, existem famílias com vários membros acometidos. Diversos estudos têm apontado a relevância cada vez maior do fator genético. Tem-se observado também que o ceratocone progride mais rápido em pessoas jovens e a maioria dos casos é diagnosticada antes dos 24 anos e progride até os 35 a 40 anos de idade. Sabemos que indivíduos alérgicos (portadores de rinite alérgica, asma ou outras formas de alergia) estão mais predispostos a desenvolver o ceratocone, possivelmente devido ao ato de coçar os olhos.

Quais são os sintomas do Ceratocone?

O principal sintoma é a diminuição da visão, a qual costuma piorar progressivamente.

Como se diagnostica o Ceratocone?

Deve-se suspeitar de ceratocone em pessoas jovens que apresentem astigmatismo ou que possuam astigmatismo que vem se modificando. O exame de topografia de córnea é o primeiro a evidenciar a doença e é utilizado também para acompanhar sua progressão. É importante também realizar exame da medida da espessura da córnea (paquimetria) já que córneas com Ceratocone apresentam afinamento progressivo. Tomografias de córnea (Orbscan e Pentacam) também podem ser úteis na avaliação das córneas com Ceratocone, principalmente nos casos cirúrgicos.

ceratocone

topografia corneana

Como é o tratamento?

O tratamento do ceratocone tem por objetivo devolver e manter a melhor acuidade visual possível ao paciente. Em estágios iniciais as irregularidades da córnea (astigmatismo) são leves e consegue-se boa visão com o uso de óculos. Com a progressão da deformação corneana faz-se necessário o uso de lentes de contato rígidas para devolver uma superfície regular ao olho e atingir uma visão satisfatória. É  importante salientar que a adaptação de lentes de contato nestes casos exige conhecimento e experiência. Caso a lente não esteja bem adaptada, o trauma causado pelo toque excessivo do ápice do ceratocone na lente de contato pode induzir uma aceleração da evolução do ceratocone ou causar uma perda de transparência da córnea com conseqüente piora da visão.

Existem tratamentos cirúrgicos para o ceratocone e sua indicação deve ser muito criteriosa. Cada tratamento tem seu momento ideal para ser feito e deve-se saber exatamente o que esperar de cada um deles.

O Cross-linking é um tratamento em que se submete a córnea a uma combinação de radiação ultravioleta e riboflavina (vitamina B2). Este tratamento tem por objetivo enrijecer o colágeno da córnea, impedindo a evolução de sua deformação.  Este tratamento está indicado para pacientes que tenham boa qualidade visual com óculos ou lentes de contato e que tenham apresentado progressão da doença. Estudos recentes têm demonstrado que este tratamento, quando bem indicado, tem apresentado sucesso de 97% em estabilizar a evolução do ceratocone.

 

Os anéis intracorneais ou intraestromais (anéis de Ferrara) são arcos de material acrílico, transparentes e ultrafinos, que são implantados na periferia da córnea e funcionam como uma espécie de esqueleto, remodelando a córnea e regularizando sua superfície. Este tratamento está indicado para pacientes que tenham córneas transparentes e que não atinjam visão satisfatória com óculos ou lentes de contato. Casos muito avançados não apresentam bons resultados com este tratamento.

  

Em alguns casos, podem-se associar os implantes intracorneanos e o crosslinking para remodelar a córnea e manter este resultado.

Em casos avançados, onde as irregularidades não são passiveis de serem corrigidas com as técnicas mencionadas anteriormente, o transplante de córnea é o tratamento de escolha.

 transplante de córnea.

É importante salientar que poucos casos evoluem para o transplante.

Muito importante também é a atenção para que se faça o diagnóstico precoce do ceratocone. Hoje, com a possibilidade de se impedir a evolução desta doença com o crosslinking, é fundamental que se diagnostique o ceratocone antes que sua evolução leve a uma baixa acuidade visual.

Deixe seu comentário via Facebook

comments

Ou deixe seu comentário preenchendo o seguinte formulário:

Nome (obrigatório) Email (não será publicado) (obrigatório) Site Seu comentário

Assuntos em pauta

anel de ferrara astigmatismo catarata catarata lentes catarata ocular catarata tratamento ceratocone ceratocone cross link ceratocone lente de contato ceratocone tratamento cirurgia cirurgia miopia cirurgia refrativa colírio conjuntivite cross link crosslink crosslinking cross linking cura Córnea excimer laser femto second femtosegundo fotofobia hipermetropia laser lasik lente de contato lentes de contato marco antonio kroeff miopia oftalmo oftalmologia oftalmologista olhos olho vermelho porto alegre PRK proteção solar pterígio saúde ocular transplante de córnea tratamento óculos de sol