Cirurgia Refrativa – quando é possível reoperar?


Tenho visto muitos pacientes que foram submetidos a cirugia refrativa, que ficaram com grau residual ou que tiveram aumento do grau após algum tempo, com dúvidas sobre a possibilidade de reoperação. A reoperação é uma possibilidade, mas deve obedecer alguns critérios.

Em primeiro lugar a córnea deve possuir espessura suficiente para que se possa fazer nova correção. Ao corrigirmos o grau com o excimer laser, afinamos a córnea. Quanto maior o grau, maior o afinamento. Existe um limite de espessura que não deve ser ultrapassado para que se mantenha a biomecânica natural da córnea. Portanto, para uma reoperação precisa-se avaliar a espessura da córnea operada e o novo grau a ser corrigido para verificarmos a possibilidade de nova correção.

Deve-se considerar a técnica com a qual foi realizada a primeira cirurgia. Se a técnica utilizada foi o LASIK, pode-se apenas levantar o flap feito na primeira cirurgia e fazer a nova aplicação do laser sem necessidade de novo corte. Eventualmente, caso a cirurgia seja muito antiga, o cirurgião pode considerar a possibilidade de fazer novo flap. É importante lembrar que os flaps para o LASIK podem atualmente ser feitos com o Femto Second Laser, sem necessidade de corte com lâmina. Caso a técnica da primeira cirurgia tenha sido o PRK, onde não é feito o flap e o laser é aplicado diretamente na superfície da córnea, deve-se, ao reoperar, observar que estes casos tem maior tendência a fazer um tipo de cicatrização chamado HAZE, em que a transparência da córnea pode ser afetada. Nestes casos, em reoperações após PRK, deve-se utilizar uma substância chamada mitimicina durante a cirurgia para evitar a formação do haze.

A reoperação refrativa é uma possibilidade e normalmente apresenta excelentes resultados. Mas, para isso, é preciso uma avaliação pré operatória tão ou mais criteriosa do que a realizada na primeira cirurgia.

Dr Marco Antonio Kroeff

Deixe seu comentário via Facebook

comments



Voltar

Ou deixe seu comentário preenchendo o seguinte formulário:

Nome (obrigatório) Email (não será publicado) (obrigatório) Site Seu comentário

440 comentários para “Cirurgia Refrativa – quando é possível reoperar?”

  1. Thereza disse:

    Boa noite Dr. Já havia feito cirurgia há 15 anos (PRK). Há 20 dias fiz cirurgia novamente, estava com 2 graus de miopia em cada olho e 0,5 0,25 de astigmatismo. A cirurgia foi feita pela técnica Transepitelial devido a espessura da córnea. Estou com dificuldades em ver perto, fica embaçada e longe a imagem esta um pouco distorcida nos dois olhos. Em consulta com o médico, disse que tanto a miopia quanto o astigmatismo havia zerado nos dois olhos, porém, estou com 1,75 grau de hipermetropia. o Sr pode explicar, pois não compreendi a explicação do médico, e disse que vai diminuindo com o tempo. Procede essa informação? Obrigado

    • Thereza. Naõ sei sua idade, mas após os 40 anos todos começamos a desenvolver presbiopia, que piora a visão de perto. Míopes nessa idade, quando estão sem os óculos, enxergam de perto pois a miopia compensa a presbiopia. Portanto se você tinha 2 graus de miopia e corrigiu este grau, sua visão de longe irá melhorar mas precisará de óculos para perto. Eu, no seu caso teria corrigido a miopia em apenas um olho, deixando o outro melhor para perto. Isso lhe daria uma ótima independência dos óculos.
      Um abraço
      Dr. Marco Antonio Kroeff

  2. Camila Castro disse:

    Dr boa noite! Há quase dois anos em uma consulta de rotina meu oftalmologista disse que eu não podia operar porque meu grau não estava estável. Essa semana fiz uma consulta com o cirurgião da mesma clinica para saber a possibilidade de fazer a cirurgia e já saí de lá com a data marcada. Fiz pentacam, exames antes e depois de dilatar a pupila o dr disse que em 2 anos meu grau aumentou pouco e isso não era impedimento. Estou receosa porque olhando minhas receitas vi que meu grau aumentou 0,5 de miopia no OD e reduziu 0,5 de astigmatismo no OE. O médico considera isso pouco então.
    Uso atualmente óculos pra 2,0/1,75 de miopia e 2,0/1,0 para astigmatismo e não vejo nada sem correção. Estou com receio de ficar com algum resíduo e ainda precisar do óculos ou ainda do meu grau não estabilizar..
    Em sua opinião e experiência eu devo fazer a lasik? Devo procurar outra clínica/outra opinião? (se sim, aproveito para perguntar alguma indicação em Natal-RN)
    Minha ideia é não precisar mais usar óculos, mas se eu ficar com resíduo e precisar do óculos todo o gasto será em vão e vou fazer tudo particular…

    • Camila. A única maneira de nos certificarmos de que o grau está estável é fazendo exames pelo menos anualmente e constatarmos que o grau não está aumentando. quanto maior o tempo de acompanhamento sem alteração do grau maior a probabilidade de o grau estar estável. Se o seu grau modificou entre a última consulta e a anterior isso significa que não está estável.
      Um abraço
      Dr. Marco Antonio Kroeff

  3. Loriane Moreira do Nascimento disse:

    Olá doutor! Tenho 32 anos e fiz PRK há 4 meses. Tinha 4,5 de miopia em ambos os olhos, tirei as lentes terapêuticas no 5º dia. Levou em torno de 30 dias para passar a sensação de visão embaçada e desfocada. Sinto que ainda tem um grau residual, mas o que me incomoda e preocupa, desde então, são MANCHAS que apareceram (pequenos pontos pretos e transparentes) nos dois olhos e também a DIFICULDADE para olhar televisão (especialmente cenas com movimentos), pois minha visão fica embaralhada e a imagem fica tremida. Lhe agradeço a atenção! Abraço

    • Loriane. Estas queixas não são comuns após 30 dias de PRK. Não tenho como opinar sem examiná-la. Sugiro vocês procurarem o médico que fez a cirurgia para avaliação pós operatória.
      Um abraço
      Dr. Marco Antonio Kroeff

Assuntos em pauta

anel de ferrara astigmatismo catarata catarata lentes catarata ocular catarata tratamento ceratocone ceratocone cross link ceratocone lente de contato ceratocone tratamento cirurgia cirurgia miopia cirurgia refrativa colírio conjuntivite cross link crosslink cross linking crosslinking cura Córnea excimer laser femto second femtosegundo fotofobia hipermetropia laser lasik lente de contato lentes de contato marco antonio kroeff miopia oftalmo oftalmologia oftalmologista olhos olho vermelho porto alegre PRK proteção solar pterígio saúde ocular transplante de córnea tratamento óculos de sol